Coletânea

domingo, junho 05, 2005

 

Bromoprida e subjetivismo

Immanence without transcendence cannot be "lived",
it can only make descriptions and theorise
.
James Houston

Ao escrever sobre Descartes, o professor Olavo de Carvalho procura retraçar o paradoxo de uma teoria do conhecimento que pretende instaurar a dúvida radical como único e seguro ponto de partida. Ao anunciar algo como só sei que nada sei – mais cartesiano que propriamente socrático – , Descartes realiza um verdadeiro malabarismo ao tornar a dúvida em certeza fundadora após um movimento anterior de cisão: o sujeito do conhecimento ergue os pés do mundo conhecido e dele se retira, colocando-o “entre parênteses” e fundando-se em superioridade sobre o objeto que quer conhecer. Assim, a divisão entre sujeito e objeto para o processo de conhecimento é que permitiria ao sujeito afastar-se para duvidar, com base em uma pressuposição: a de uma visibilidade do mundo sem que se esteja implicado nele. No entanto, como pode fazê-lo o homem, se nunca esteve fora do mundo?, indaga-se o professor. E eu completo aqui: como pôde achar que o fazia Descartes? Pois a experiência de estar fora do mundo, realmente fora do mundo, geraria uma angústia intolerável para qualquer um.
Não tiro do nada essa observação. A depressão do astronauta Aldrin quando voltou da lua não se deveu simplesmente, creio eu, a um anticlímax depois de ter realizado um dos maiores feitos de que a humanidade foi capaz. Depois de ter pisado na lua e de ter visto o planeta em que vivemos ao longe, uma imensa bola azul no espaço em vez da tranqüilizadora bola branca, imagino que tenha balbuciado palavras semelhantes às que exclama o solitário personagem de David Bowie, major Tom, quando em órbita em torno da Terra: “Planet Earth is blue and there’s nothing I can do...” Como se preparar o suficiente para tal deslocamento, como evitar sensações de medo e impotência? Mas, claro, expedições de caráter científico não permitiriam o reconhecimento de tais fraquezas. Aldrin o expressou quando voltou, por meio da depressão: após ver-se fora do mundo, precisou de algum tempo para entrar adequadamente nele de novo.
Em um desejo de evadir-se, muita gente já induziu seus próprios estados de “fora do mundo” por meio da ingestão voluntária de substâncias químicas. Mas o que dizer de um deslocamento absolutamente involuntário? Deste, sofri três vezes, e vou relatar essas três experiências aqui.
No entanto, antes de começar, devo dizer que há controvérsias quanto à bromoprida que, não sendo médica nem farmacêutica, não posso elucidar. Em uma modesta pesquisa pessoal, recolhi relatos de pessoas que experimentaram efeitos parecidos com os meus, mas também ouvi profissionais abalizados me dizendo que a bromoprida não costuma causar o que descrevi. Portanto, poderia ser bromoprida, fluoxetina ou qualquer outra substância; o que importa, para mim, é a sensação abismal de estar fora do mundo que me acometeu nas três ocasiões em que a tomei.
Na primeira, houve uma depressão indizível; já era de noite. Lembro que me enrolei na cama e me forcei a dormir, esperando que o dia trouxesse o bem-estar de volta. Nunca havia experimentado nada parecido, porque não me recordo, antes disso, de ter tido o seguinte pensamento que me ocorreu naquela noite: como, em algum dia da minha vida, eu pude me sentir bem? Como pude viver meu dia-a-dia, levantar, comer, sair para trabalhar?
A partir de então, eu nunca mais poderia deixar de refletir nesse estado de alma, que havia conseguido até mesmo apagar, ainda que por algumas horas, toda memória emocional de normalidade.
A segunda vez foi a pior. Administraram-me bromoprida por meio de intravenosa, no soro, depois de uma intoxicação alimentar. Alguém viria me buscar dentro em pouco. Findo o soro, eu saí da maca e tentei me sentar no banco de espera, mas qualquer posição ali me era insuportável. Era como se houvesse uma inadequação entre mim e meu corpo, entre mim e qualquer objeto que eu tentasse reconhecer e tocar. Era como se tudo à minha volta gritasse silenciosamente que eu não estava ali. Fui então tomada de um pânico quieto. Imaginei que minha saúde não andava boa, imaginei o que aconteceria se me acometesse algo mais sério e eu tivesse que depender de hospitais, de visitas. No auge do desespero, perguntei-me quem poderia me valer. Não havia Deus: naquele momento eu era um vazio flutuando em algum vazio maior. O antimundo à minha volta gritava a inexistência de Deus em uma espécie de ateísmo radical e involuntário que havia me possuído. Sem Deus, alternativamente comecei a repassar na lembrança todas as pessoas que eu conhecia e que sabia gostarem de mim, meus pais, meus amigos, para assegurar-me de que elas me valeriam, elas não deixariam que eu perecesse em meio a doença e solidão. Mas a evocação de cada uma delas de nada me confortou. A cada rosto familiar, eu era ferida pela irreparável impossibilidade de que pudessem fazer algo por mim.
Quando minha amiga chegou, eu já estava morta. Subjetivamente, não havia sobrado muito no processo. Caminhei com ela até a casa sem articular palavra. Entrei, e ela me perguntou se eu queria que ela ficasse ali, dormisse ali comigo. Eu respondi que tanto fazia. Não podia responder outra coisa. Depois de ter experimentado solidão tão absoluta, não havia sentido em desejar ou não sua presença. Ela se foi bastante chateada, mas creio que eu não poderia, daquele jeito, ter-lhe explicado o que se passava comigo.
Na terceira, bem, a terceira foi mais suave, muito mais suave. Pode-se dizer que, em comparação com a segunda, eu tirei de letra. Mas houve um problema com que eu não contava: durou mais. Novamente no hospital, administraram-me a bromoprida e poucos minutos depois eu já me sentia invadida de uma agitação intolerável. Implorei para o médico me deixar sair (ele riu!), menti que não estava mais tonta, ele me deu o atestado, voei pela porta e peguei um táxi.
No carro, achei que o dia lindíssimo me consolaria, mas não me consolou. Percebi que me sentia miserável, um pobre-diabo, separada para sempre do mundo dos mortais. Os objetos que eu tocava e via – a maçaneta da porta, os prédios, a praia, as montanhas – perdiam a densidade e o valor que o cotidiano lhes atribuía, transformando-se em um opaco cenário de pesadelo. Indaguei como tudo ao meu redor parecia vivo, mas eu não conseguia participar dessa vida. A vida, como vêem, passou a ser “essa vida”, um dêitico indicando que, ao apontar para ela, identifico-a como algo fora de mim.
De resto, cheguei em casa e me forcei a dormir durante toda a tarde, e depois a noite inteira. Só me libertei de verdade da sensação macabra dois dias depois, com meus alunos, ao perceber que havia conseguido entrar na vida por completo. Antes disso, o sabor de estar “um pouco” fora me consumia, mas dessa vez eu soube ser paciente – e sabia que Deus estava comigo.
De onde tiro a conclusão: o mero sentir-se fora do mundo é insustentável. Realmente fora do mundo, quero dizer. Sem a sensação de euforia que deve acompanhar alguns estados induzidos por alucinógenos, sem a grogueira de uma bebida, de uma anestesia forte. Estar separado da vida e continuar lúcido equivale, acredito, a morrer e continuar vivo. Podemos nos perguntar por que ainda estamos ali, já que tudo parece ter perdido a capacidade de mostrar-se coerente. Perdemos Deus, pessoas, coisas. Como se rompido para sempre o laço que nos amarra ao mundo e nos proporciona sentido e pertencimento.
Não foi o que aconteceu com Descartes – não que soubéssemos. Ao que me consta, prosseguiu tranqüilamente com sua filosofia, com os cuidados de praxe que a instituição religiosa da época inspirava. Sem implicar-se por inteiro no sistema que criou – como viver permanentemente na dúvida radical? – , teria elaborado para si nada mais que a ficção de se colocar fora do mundo. Tirou daí, acredito, todo um modo de racionalizar a vida que já não corresponde mais à vida, mas é unicamente mental. Ele não sofreu por estar fora da vida, porque realmente não estava. Mas toda a sua construção filosófica se baseia nessa ruptura de estados mentais e emocionais, de lógica e experiência – ruptura que não por acaso caracteriza o subjetivismo reinante nos estudos universitários, hoje, com mais força que nunca.
Toda a filosofia moderna, por assim dizer, é cartesiana, ao desejar um esquema abstrato que proporcione a vertigem de uma gnoseologia total em vez de uma tentativa de conhecimento parcial do mundo e no mundo. Ao comprar a idéia de Descartes, o pensamento moderno quer inaugurar a última e definitiva forma de filosofar, para isso pretendendo-se o filósofo um puro “olho”, independente e isento. Porém, em tudo isso há como que uma brincadeira, uma proposta que poderia talvez ser formulada assim: vamos brincar de nos colocar fora da realidade e imaginar tudo de novo? Vamos dizer que só existe o que a gente pensa que existe? Como brincadeira, isto pode ser feito sem maiores conseqüências, pois continua-se no controle do processo – o real está ali fora, pacientemente à espera. A ficção ganha contornos perigosos quanto mais crê nela o pensador; mas, ainda assim, não há sofrimento em uma ruptura apenas mental com o mundo.
Eu pergunto então: se Descartes tivesse experimentado os efeitos da bromoprida, será que basearia nessa divisão sua filosofia? Se, em um só dia de suas alegres vidas, professores e estudantes universitários que se entusiasmam com a proposta subjetivista tivessem sido jogados por inteiro – não só mentalmente – no abismo de uma separação entre consciência e realidade, será que não correriam de volta assim que possível? Se soubessem o que é estar fora do mundo sem o terem desejado, filósofos e aspirantes a filósofos retornariam com urgência do projeto subjetivista, rogando com humildade a quem detém a chave de todo sentido uma nova chance de um processo de conhecimento do mundo em que não se alienassem de si mesmos.

Comments:
Deprived of a mother to love him
Descartes divorced
Mind from Matter


Sem mãe capaz de amá-lo
Descartes divorciou
A Mente da Matéria


W.H. Auden
Tradução João Paulo Paes
 
"Só sei que nada sei" é de Sócrates, não de Descartes. Está na "Apologia de Sócrates", de Platão.

(Sugestão técnica: veja se a fonte "verdana" não torna a leitura do texto visualmente mais agradável na tela do computador)
 
Oswaldo, foi isso que eu quis dizer: foi Sócrates quem falou, mas as pessoas entendem a frase fora do contexto, cartesianamente.
Eliot, esse poema é maravilhoso!
 
Olá. Procurei no google algo relacionado à bromoprida e depressão, e achei esse seu texto. Eu tenho exatamente os mesmos sintomas (uma leve depressão) algumas horas depois de tomá-la. Você confirmou com exames a sua suspeita de o bromoprida te fazer mal? Se sim, contatou o fabricante?
aguardo resposta
larissafg21@hotmail.com
 
Bromoprida causa, sim, em algumas pessoas, ansiedade generalizada e agitação psicomotora, que gera um mal-estar psíquico bem grande. Principalmente pela via endovenosa, se aplicada muito rapidamente e sem diluição.

Mas, veja bem, a experiência subjetiva é sua, e não da bromoprida. Sentir-se fora do mundo, desacreditar em Deus ou nas pessoas, isso não é "regra" do efeito colateral da Bromoprida. Cada um remete à sua própria carga emocional e subjetiva ao lidar com uma situação de mal-estar psíquico.

Espero ter esclarecido um pouco.

E evite a Bromoprida (Digesan).
 
Obrigada, Maciel!
Sim, nessa época eu não estava vivendo um grande momento com relação à fé. Por isso, você tem razão quando diz que os conteúdos psíquicos são meus.
Agora você me deixou curiosa quanto às outras formas de mal-estar psíquico que a bromoprida pode causar. Será que existe uma pesquisa a respeito?
E pode deixar, sim, ficarei longe de Digesan! ;-)
Grande abraço!
 
Achei incrível esse texto, também não posso fazer uso do bromoprida, demorei muito para descobrir que as sensações de inexistência, desespero, sensação iminente de morte e outros sentimentos depressivos eram por causa do tal medicamento. Tomava bromoprida toda vez que sentia enjoos, o que era frequente algum tempo atrás. Me lembro que numa viagem para um acampamento acordei passando mal, e logo mandei pra dentro um comprimido, dps de alguns minutos começou a sensação, achei q era por causa do enjoo, e fui parar na enfermaria, lá a enfermeira aplicou digesan intramuscular, passei a noite toda andando pra lá e prá cá, nada pra mim estava bom, eu só queria ir pra minha casa ver a minha mãe, nunca vou me esquecer daquele dia, minha vontade era correr kilometros a fim de encontrar algo que me confortasse. Hoje em dia em caso de enjoos só tomo domperidona. Bom quis aqui expressar um pouquinho do que passei com essa tal de bromoprida, e o estado subjetivo que eu alcancei. Abraços
 
Que bom ler este texto vivi a mesma angustia sem motivo , pelo contrário; a primeira vez eu não estava se quer longe da felicidade. Tinha acabado de passar no vestibular minha vida era so alegria, ate tomar esse remedio e bem um dia antes da matricula eu me senti como se nada no mundo valesse a pena ou fizesse sentido, então comecei a perceber as sensações fisicas e tomei mais uma vez ao repetir vi que era o remedio. Aconteceu mais uns dois anos quando fui internada com outra crise de gastrite e agora mais uma vez comprei o remedio e nao me dei conta que era o mesmo. Deveria tira-lo de circulação é a pior sensaçao que ja tive na vida
 
Imagine só, uma pessoa que sofre de depressão e toma esse medicamento?! Pois é. Eu tenho depressão, e ela está controlada, uso medicamento e consigo manter uma vida equilibrada. Mas ontem eu estava sentindo um pouco de enjôo, e mesmo lendo a bula com a recomendação: "este medicamento não deve ser administrado juntamente com algumas substâncias que agem sobre o Sistema Nervoso Central". Tomo Fluoxetina para depressão, mas quando percebi que o enjôo estava piorando, mandei a Bromoprida para dentro, pensado que o máximo que poderia acontecer, era ela não funcionar, ou seja, achei que a Fluoxetina poderia cortar o efeito da Bromoprida. Mas o que ocorreu foi justamente o contrario! Me senti na "fossa" ontem, duas horas depois de ter tomado a Bromoprida, fiquei ansiosa, angustiada, nervosa, não conseguia parar quieta! Parecia até que eu sofro de Sindrome das Pernas Inquietas. Fui dormir acabada, me sentindo vazia e sem ânimo, pensei: "será que terei que reajustar a dosagem da Fluoxetina? Parece que vem outra crise braba por aí!". Quando acordei hoje, ainda me sentindo "vazia", foi que eu me recordei da bula da Bromoprida, vim pesquisar na internet e encontrei esse blog! Está tudo explicado! NUNCA mais quero conta com essa porcaria. Prefiro ficar sentindo meus enjôos, que graças a Deus, não são muito comuns!
 
Oi, Sandra! Obrigada pelo comentário. Fico feliz que meu texto - que no final das contas é mais filosófico que qualquer outra coisa - esteja ajudando tanta gente a entender e evitar os efeitos indesejáveis da alergia à bromoprida.
Abração!
 
É possível que o remédio afete pessoas que já têm uma certa predisposição. Eu parei de tomar medicação pra depressão em março de 2009, depois de três anos de tratamento. Foi uma vitória incrível e me deixou muito, muito feliz. Na sexta-feira tomei a tal da bromoprida na veia e depois comecei a tomar remedinho. A sensação de falta de sentido da vida que me acometera no auge da depressão voltou COM TUDO. A depressão continuou conforme eu tomava o remédio via oral, mas o desconforto psicomotor só deu com a administração intravenosa no hospital. Foi um alívio olhar esse artigo. Já escrevi pra minha psquiatra, vou escrever pro laboratório e avisar o médico que me atendeu no HU.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Gentem, parece mentira que um remedinho assim faça um estrago tão grande. Eu costumava sentir-me assim quando tomava o Plasil, mas hoje cedo, quando tomeu apenas 30 gotinhas do remédio (pediátrico)meu mundo caiu. Me senti muito mal.O pior é que meu filho de 1 ano e 7 meses tem tomado esse medicamento de 6/6horas, senti ele meio caidinho mesmo. Que estranho. Nem sei o que fazer !
 
Tomei esse veneno tem dois dias, e estou pessima, depressiva, dai vim procurar saber o que causou isso, mas tinham que avisar a população sobre esse veneno.POis quase nao há relatos sobre o mesmo. Obrigado.
 
Pessoal, tudo que eu li tem a ver com que eu senti. Não foi a primeira vez. Hoje, 24 de janeiro de 2010, constatei que é essa substância: A BROMOPRIDA.
Além dessa inquietude, dessa agonia, fui ao banheiro umas 11 vezes. Temos que relatar ao laboratório novos sintomas.
Então éisso aí pessoal: Melhoras pra todos nós!
 
Nossa pessoal, achei ate q enfim comentários sobre este veneno de remédio, já estou com um problemão de joelho, cirurgia e tal....e por causa de umas medicações fortes q estou tomando para tal, resolvi tomar este DIGESAN q estava no armário, para azia, achei q nem ía fazer efeito pois meu filho tomava, aff....quase morri de tanta agonia,angústia, mal estar nas pernas, um horror, temos mesmo que falar bem mal desta composição, para mim pelo menos, quase me matou!!!!
 
Nossa incrivel como esse remedio acabou comigo, eu tomei ele para controlar enjoo, o pior de tudo é que eu tava tomando de 8 em 8 horas, hoje é segunda feira, deixei de tomar sabado a noite, mas continuo com a cabeça pesada, fadiga e moleza no corpo, meus movimentos sao lentos, parece que eu estava em coma ha um ano e sai dele e agora estou meio lenta, abobalhada, joguei fora esse remedio é horrivel, até chorar chorei de depressao enquanto tomava ele.
 
Me identifiquei completamente com o texto. Tive uma crise de gastrite que me trouxe muito enjoo, fui no hospital e me aplicaram bromoprida no soro,passei pelos piores mometos da minha vida. Nunca tinha vivido nada parecido,nem em pesadelo. Lembro de depois que voltei pra casa, olhar um porta-retrato com uma foto minha e ter uma crise de choro pq não me reconhecia ali. Era como se aquela pessoa tivesse morrido, como se aquilo fosse algo que eu jamais conseguiria voltar a ser. Me sentia uma alma penada dentro da minha propria casa, olhava para os meus pais e me desesperava pq achava que nunca mais ia conseguir estar com eles. è uma sensação muito dificil de explicar, mas foi desesperador.
 
gente,há alguns dias fui ao médico com dores na barriga e ele por endoscopia constatou esofagite e gastrite e me medicou com alguns rémedios entre eles o tal bromopida...nunca na minha vida me senti tão mal,não conseguia me sentar nem me deitar direito andava o dia todo pra lá e pra cá,e pensava que minha vida não tinha mais sentido com fortes agonias na cabeça...na minha opinião esse rémedio não deveria ser cormecializado...
 
Quando descobri que nao podia tomar esse medicamento, estava com diarreia e vomitos, dai fui ao hospital e medico fez a medicação intravenosa, imaginem o estrago né? Fiquei depressiva, triste, inquieta, nao dava conta de segurar nem meu filho, meu marido nao podia nem sair perto de mim, tamanho meu desespero, isso durou mais de 5 dias, quando minha medica descobriu o mal que o medicamento tinha feito foi no 2 dia que gavia tomado, daí tive q voltar p hospital e passar o dia tomando soro para que o medicamento saisse logo do organismo....MISERICORDIA... ESSE REMEDIO É TERRIVEL...
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Eu tive um crise de panico terrivel no ultimo sabado, logo apos tomar digesan.
Resolvi pesquisar se a crise estava relacionada com a bromoprida.
Achei este blog que comprovou minha desconfianca sobre este remedio.
Me lembrei da primeira crise de panico que tive, e eu havia tomado dias de bromoprida.
Fui lembrando que na grande maioria de crises do panico eu havia tomado este medicamento para ma digestao.
Acredito que descobri o causador de 90% das causas das minhas sindromes de panico.
Esta substancia com certeza tinha que ser abolida, as reacoes sao insuportaveis, nao desejo para ninguem.
Obrigado a todos pelos relatos. Vai ajudar muita gente.
 
Seguem meus sintomas ao tomar bromoprida:
Sensacao de frio mesmo estando suando em bicas, pernas tremendo, ansiedade fortissima, nao consigo ficar parado, musculatura das pernas e bracos travam e tremem, sensacao de desespero, perda de realidade, vontade de chorar, fraqueza sem sono, des confianca de problemas de saude. So passa tomando calmante e dormindo a duras penas. As sensacoes so saem totalmente 2 dias depois, apostaria dormir muito nestes dias. Boa sorte a todos.
 
Acho que devemos processar o laboratório pessoal, isto é um mal muito sério!!! No dia 11/10 tomei uma chuva forte, tive febre logo que cheguei do serviço, a noite me deu muito enjoô. Como estava com um pouco de tontura fui ao Servidor Público Estadual e o médico além de receitar Ranitidina , um antibiótico também receitou o "Veneno" "Bromoprida".
Na primeira tomada senti enfraquecer as pernas,mas não fiz ligação com o remédio,mas após 6 horas o médico mandou tomar mais 40 gotas , quase desfaleci, senti-me fora do mundo, me deu uma depressão horrível, não comi 2 dias , não falava com ninguém , andava de um jeito que parecia que estava elouquecendo. Minha família se assustou comigo e se desesperaram. Eu não Conseguia ficar um minuto seguer no mesmo lugar,ia de um lado para outro . Novamente voltei ao médico pedindo forças a Deus para que eu pudesse chegar até lá, minha paciência estava esgotada. Se achasse a porta aberta, talvez saísse sem destino, ( eu que sempre fui uma pessoa muito paciente). Quando chegou minha vez de ser atendida pedi pelo amor de Deus para a médica para que ela me desse um calmante senão eu não saberia o que poderia acontecer. Minha pressão estava 20/10. Ela mandou masticar um remédio para pressão e me deu um diazepam. Suspendeu todos os medicamentos e graças a Deus fui me acalmando e voltando a mim mesma. Só depois de 5 dias voltei ao trabalhoporque tinha medo daquele pesadelo horroroso voltar.Tudo que estou dizendo esta anotado em minha ficha lá no hospital,mesmo a médica dizendo que não tinha nada a ver com o remédio agora tenho certeza que foi. Grata.
 
Nossa, eu achando que era só comigo, eu sofro de refluxo, e o médico me receitou esse remédio, tenho que tomar durante 6 meses...Oo'...não estou aguentando mais, tomo já faz 2 meses, perdi um emprego por causa dos sintomas. Quando iniciou meu emprego, eu comecei a tomar o remédio, deu uma ansiedade monstruosa, fiquei inquieto, não passei da entrevista.
 
no dia 14de agosto de 2009 levei minha filha de11 anos na época pro medico com sintomas da tal gripe suina,aí o medico receito esse digevita na segunda dosagem que eu dei pra ela,nossa quase morri de susto ela teve convulsão a lingua ficou dura entorto ocorpo inteiro pra trás,coitadinha,implorava para mim não deixa-la morrer.Lvamos ela pro pronto socorro ela ficou em observação das 18h até 2h da manhã.vivemos um pesadelo inesquecivel mas gloria a DEUS ela esta com nos. ahhh e eu tambem to tomando esse remedio e tambem to tendo os mesmos sintomas da norma,só que eu achei que não fosse o remedio,achei q fosse psicologico esses sintomas ,por ter medo dele depois de ter vivido esse problema com minha filha.quer saber?^eu nunca maaaaiiiissss vou toma esse veneno,JESUS A DE ME CURAR OU EU PREFIRO DOR.ABRAÇOS PRA TODAS
 
Eu também tive uma experiência péssima!
Tive simplesmente vontade de estar morta, tamanho o mal estar emocional que fiquei...
Tenho gastrite e já tive algumas úlceras, mas nada se compara à essa sensação horrível que senti!
Ainda bem que existe a internet para tirarmos nossas dúvidas...
Graças a este blog descobri que realmente foi esta praga do inferno de remédio!
 
tomei esse remédio

foi um terror
horrivel

medo
inominável

tenebroso

a cabeça da gente
ui!
ui!

terror....

ninguem percebe. só quem sente
só quem sem sente

macabro
 
Eu tb estava tomando esse remédio. E infelizmente tomei por mais de 3 meses, sem sequer imaginar que poderia ser ele. Só sei que os sintomas são terríveis. Dá vontade de sumir, nenhum lugar fica agradável. Desespero em pensar em ter outra crise. Só passa os sintomas dormindo. Uma ansiedade extrema, medo, desânimo, terrível. Não conseguia relaxar de forma alguma,até psicologo procurei. Mas minha sorte, foi q Deus me mostrou que era esse veneno que estava fazendo isso, e sem querer fui ler a bula e agora lendo esses comentários.. nunca mais.. esse veneno!
 
ontem dia 25 de abril/2011 apos um surto de vomitos que me acometeu a madrugada tomei o degesan (Bromoprida) e fiquei mal com pensamentos de suicidas inclusive um terror, fiquei angustiado, e dormi o dia inteiro.por minha sorte so tomei dois comprimidos. esse remedio mexe com todo sistema nervoso ele, nao consegui trabalhar por 3 dias hj estou bem demorou 2 dias para passar o efeito nefasto desse remedio.

agora que remedio posso usar em substituição a bromoprida, alguem pode me ajudar
 
É melhor não tomar nenhum remédio, do que tomar o veneno da bromoprida. E tem que tomar cuidado com o Plasil e afins, agem no sistema nervoso de forma parecida.
 
Anos depois de postarem esse texto, encontro-o na busca do Google e ele praticamente me tira do desespero.
Tomei um único comprimido três dias atrás e ainda me sinto uma pária existencial.
É uma descrição exata de tudo o que senti nessas últimas horas. Até separei o cartão da minha ex-psicóloga porque achei que estava enlouquecendo. Pensei que nunca mais conseguiria enfrentar o mundo, cruel e caótico como nunca antes me pareceu.
Sério, esse remédio deve ter levado gente ao suicídio! Bad trip total, prefiro ficar vomitando.
 
Impressionante... ano passado tive uma crise de pânico séria, passei a tomar paroxetina, durante um ano, nunca mais tive nenhuma crise, embora tenha sempre algum receio. O fato é que quando tive a primeira crise, usava esse medicamento quase que diariamente, pois achava que sendo do meu filho, um remédio infantil, nada poderia causar. Certa vez, em um pronto socorro com meu filho a médica comentou comigo, nunca dê bromoprida pois pode causar sintomas estranhos que a gente custa a descobrir que é a bromoprida. Desde então, tenho isso em mente, e hj confirmei nesse blog...estou feliz!! descobri algo muito importante.
 
Nossa, lendo isso percebi que não fui a única. Já aconteceu comigo 3 vezes. A 1ª vez há uns 3 anos atras quando tomei intravenosa no hospital depois de uma crise de gastrite, me disseram que foi pq injetaral rápido demais,por isso tive essa tal reação. E continuei tomando plasil, mas em gotas. E nunca me senti desse jeito. Mas nos ultimos dias tive a pior sensação quando tomei. Estou com dengue e o medico receitou o plasil para enjoo, tomei 30 gotas e comecei sentir os tais sintomas, parecia que ia morrer, pensei que fosse pq tomei tantas gotas, falei com o médico e ele me passou o bromoprida,tomei ontem. Putz !! Fui parar no hospital por causa de tudo que senti.Quando deitava queria sentar, quando sentava queria deitar, andar, sei lá. Suava, mas me tremia como estivesse com frio. Pensei logo que fosse esse remédio, chegando no hospital a médica falou que tive reação a esse remedio mesmo, assim como plasil. Tomei 1L de soro para poder tirar do meu corpo, mas mesmo assim fiquei com um pouquinho dos sintomas, mas nada exagerado e incontrolável. E sorte de quem tomou e conseguiu dormir, pq nem isso eu consegui. Foi brabo... Nunca mais. Acho que deveriamos denunciar. Temos que fazer algo, pq percebi o quanto é perigoso.
 
Tmabém tive essa sensação horrivel, tomo ele a seis meses desde quando a médica me receitou ele para enjoos que eu tenho tomo ele a seis meses quando tenho enjoos e tive vontade de me matar, chorei e tal, que remédio horrível NUNCA mais coloco esse remédio na boca, nem com dor vou pedir outro a médica.
 
Já faz anos que isso foi postado, mas nunca encontrei nada parecido na internet, que explicasse tão bem meus sintomas! O pior é que demorei anos para descobrir que o que causava minhas crises de ansiedade era a Bromoprida!
Eu sofro de gastrite e sempre tomei... Há alguns anos fui diagnosticada com transtorno de ansiedade e tomo antidepressivo! Nem sei se não foi esse remédio que causou tudo!
Mesmo tomando antidepressivo, há alguns meses tive uma amigdalite e muito enjoo por causa da febre e a médica colocou na intravenosa a Bromoprida! Foi o episódio que precisei para notar que foi ela que causou! Porque há meses não sentia nada de ansiedade!
Olha, não sei como não tentei suicidio! A angustia é tão grande... Você se sente fora do seu corpo! Achando que vai morrer, perder tudo o que ama, desacredita na vida, fica com medo, em pânico e querendo andar de um lado pro outro! Mexendo os braços, pernas!

Não sei como isso ainda é vendido! E administrado em crianças!!! Isso deveria ser proibido!!!!
 
nossa estou feliz , nao por vcs passarem por isso , mas por q eu passei e pensei q fosse coisa da minha cabeca , estou gravida e estava tomando para os enjoos , tinha vontade de suicidar , o mundo ficou sem sentido ,so queria morrer ou abortar , q sensacao esquesita , adorei seu texo , foi assim q eu me sentir por uma semana , q sofrimento ... hoje estou bem para enjos tomo meclin ele e muito ... bjs
 
nossa estou feliz , nao por vcs passarem por isso , mas por q eu passei e pensei q fosse coisa da minha cabeca , estou gravida e estava tomando para os enjoos , tinha vontade de suicidar , o mundo ficou sem sentido ,so queria morrer ou abortar , q sensacao esquesita , adorei seu texo , foi assim q eu me sentir por uma semana , q sofrimento ... hoje estou bem para enjos tomo meclin ele e muito ... bjs
 
Já aconteceu comigo 3 vezes ... Inclusive ontem tomei endovenoso e tive a ansiedade , inquietação horrível ! Sou médica e já sabia disso mas estava vomitando no pós parto do meu filho e a enfermeira me aplicou .
 
Já aconteceu comigo 3 vezes ... Inclusive ontem tomei endovenoso e tive a ansiedade , inquietação horrível ! Sou médica e já sabia disso mas estava vomitando no pós parto do meu filho e a enfermeira me aplicou .
 
Tomando a substância bromoprida senti mts dos sintomas citados. Fiquei mt tensa com uma sensação de angustia muito forte, queria ficar deitada dormindo mas a cabeça atordoada não conseguia dormir direito. Pensamentos angustiantes vinham , uma sensação de fraqueza, suor frio, parecia estar com pressão baixa e visão meio turva com um pouco de tontura. Passei pelo médico e ele me receitou uma injeção de antialergico que costuma ser aplicado para combater efeitos colaterais como os causados pelo plasil e realmente existem pessoas "alégicas" a esses dois remédios e pelo menos a angustia passou e aos poucos estou me sentindo melhor. Mas fiquei "feliz" em encontrar esse blog pois vejo que não são meus esses sintomas e sim confirmei que são causados por essa substância.Sensação horrível!
 
Encontrei aqui a resposta para minha pergunta.
Tomei Bromoprida hoje pela manha, foi o quarto comprimido, mas está me fazendo muito mal...minha realidade parece que nāo está em mim, nāo consigo ficar com as pernas quietas, até pensei em Sindrome da perna que balança. Muito ruim o que estou sentindo. Desejo que passe logo, pois minha realidade está fora de mim, ou eu dela, eu olho mas nāo "vejo", horrível isso...
 
Realmente isso acontece sim. Eu tomei 1 comprimido e senti uma ansiedade estranha e um mal-estar. Porém, percebi que era o remédio, porque eu não conseguia dormir direito...me dava uma sensação incômoda, queria levantar, queria deitar...o sono sumiu. Enfim, não vou tomar mais...acho que devem tirar esse remédio do mercado.
Airton dos Santos
 
Realmente isso acontece sim. Eu tomei 1 comprimido e senti uma ansiedade estranha e um mal-estar. Porém, percebi que era o remédio, porque eu não conseguia dormir direito...me dava uma sensação incômoda, queria levantar, queria deitar...o sono sumiu. Enfim, não vou tomar mais...acho que devem tirar esse remédio do mercado.
Airton dos Santos
 
Pessoal, muito obrigada por compartilharem esse tipo de informação. Eu acho que seriamos sofredores solitários e aflitos (como eu fui ate ontem) se nao tivéssemos vindo ate aqui para compartilhar nossa sensação horrível!! As pessoas que nunca passaram por isso nao conseguem entender e nao tem idéia do desespero. Eu já senti a mesma sensação com bromoprida, plasil (lembro que era adolescente ainda e me senti péssima, a pior sensação da vida!!) e com um estimulante de apetite. No caso de termos essa hipersensibilidade a essas medicações, vcs recorrem a que outros remédios no caso de enjoo? Pq todos que tomei ate hj me fazem sentir assim... Bom, agora e aguardar minha recuperação. Tomei apenas um comprimido de digesan ontem e nao durmo direito, nao como, fora a angustia terrível... Espero que passe logo. Mantenham esse blog vivo!! Ele e confortante para quem já passou por isso.
 
Maria helena, uma vez eu fui no hospital, acompanhando minha esposa e vi uma pessoa ter um ataque de nervos terrivel, apos tomar plasil na veia. A medica de lá falou que era "acastisia", e só melhora com o tempo e talvez tomando diazepínico (calmante). Eu já tive isso várias vezes tomando digesan, e já não tomo esses remédios de enjoo a muitos anos, sem mais ter problema nenhum. Para enjoo eu tomo comprimidos para acidez do estomago, tipo maalox, mylanta, e folha de boldo espremida na agua. Fico bem assim. Boa sorte e saude para voce.
 
Nossa, gente muito obrigada pela explicação e pelos comentários, eu me senti assim pela primeira vez quando fiquei enjoada com crises no estômago e tomei no hospital o plasil via venal, nossa, fiquei tão inquieta que minha vontade era de sair correndo daquele hospital, me senti péssima, como se estivesse tudo ruim. Só queria sair daquele lugar. Ontem tomei o digesan e senti o mesmo sintoma no hospital tbm, uma vontade incontrolada de sair correndo. Descobri também que esse bromoprida que é o mesmo domperidona fez a minha taxa de hormônio aumentar (prolactina), meus seios ficaram saindo leite e hoje estou tentando engravidar e por causa desse hormônio alto eu não consigo a mais se sete meses tentando já, pois esse hormônio nos torna inférteis enquanto ele estiver alto demais. Gente divulguem isso é muito sério.
 
Oi pessoal, sou eu de novo. Eu tomei um único comprimido há 4 dias e ainda sinto essa angustia terrível, nao consegui dormir a noite inteira e nao tenho forca para ir trabalhar. Quanto tempo levou para sumir os sintomas de vcs??
 
Oi, Maria Helena!
Meus sintomas desapareceram completamente somente uns 15 depois!
Demora mesmo, mas passa!
E a partir disso faça como eu: queira distancia desse remédio!
Um abraço!
 
Nossa, Sandra, 15 dias? Eu tomei apenas 1 comprimido há 4 dias... Que bomba! Olha, acabei de ligar no laboratório Sanofi para descrever o que aconteceu comigo, e disse que lo relatos no internet a respeito. A atendente disse que esse tipo de reação acomete 10% das pessoas... Mas eu disse que na bula isso nao esta claro, e que eles deveriam ser mais específicos (ou tirar esse remedio de circulação!). Há um tempo atras, quando tomei um comprimido, minha psicóloga chegou ate a mencionar a necessidade de eu fazer uso de antidepressivos, imagina só!! Ainda bem que eu nao segui em frente. Bom, gente, muito obrigada pelo apoio, qq novidade compartilhem... Só quem passou por isso sabe o que e! A pior sensação da vida! Meu marido por exemplo nao entende e nao consegue imaginar...
 
Esse artigo reflete muito do que já passei com e sem a tal da bromoprida. Eu não posso nem ver esse medicamento na minha frente. Ele é perigoso e pode desencadear crises depressivas em pessoas com predisposição. Muito interessante os comentários aqui postados, reflete muito do que se passa com alguém na depressão. Descrições clássicas e claras do quadro de desespero. Não acredito serem subjetivos os sintomas pelo aspecto nosológico, no entanto nossa mente atribui algum subjetivismo a dor e a angustia.

 
Meu Deus!

Eu me vi nesse texto!
É a pior sensaçao do mundo.
Depois de viver os piores dias da.minha vida.... E um deles a vontade que tive foi de me jogar pela janela de tao mal que estava devido a essa substancia do mal... Descobri.que nao posso.tomar Bromoprida... Consequentemente, nao posso tomar Digesan, nem Plasil. Gente, minha vizinha estava fazendo tratamento para gastrite e só vivia triste, nao saía mais de casa , nao conseguia mais assistir tv... E qdo sentava pra ver, ficava se balançando no sofá devido a inquietaçao que sentia... A familia estava a ponto de interná-la em um hospital pisiquiátrico!
Até que descobri, pelos sintonas que relatou pra mim, que era mt parecidos e descobri que ela estava fazendo uso da Bromoprida tb! Falei pra ela parar imediatamente com o remédio e ela passados alguns dias (até a substancia sair do organismo demora) ela estava normal de novo.... Que bom, meu deus... Trouxe alguém de volta a realidade.

Fiquei pensando quantas pessoas passam pelos mesmos problemas sem saber?! Quantas pensam em tirar a própria vida devido ao efeito desespetador que essa substancia causa?!

Era necessario que isso fosse divulgado... Muitos médicos sequer sabem que isso acontece... Dos efeitos devastadores que a Bromoprida causa em uma pessoa!

Obrigada pelo texto... Obrigada por falar de algo que afeta milhares de pessoas e que a maioria nem desconfia que tudo que está passando não é porque está ficando louca e, sim, devido a uma substancia rídula que é a Bromoprida.

 
Muito grato, seu texto foi muito útil para mim. Tenho tomado no último mês de forma contínua esse Bromoprida e e tive as mesmas sensações que tu descreve, mas só que durando um mês... cheguei a perguntar para minha dra. mas ela disse que "não, bromoprida não causa isso" então eu achei que estava entrando em depressão, agora vejo que não sou o único.
 
Zarathustra, infelizmente muitos médicos desconhecem a reação extrapiramidal. Veja esse artigo:

http://www.enxaqueca.com.br/blog/reacao-extrapiramidal-quem-ja-teve-nunca-esquece/
 
Pensei que só eu tinha sentido fortes sentimentos depressivos após tomar bromoprida. Apesar de os médicos me afirmarem que minha suspeita (certeza, na verdade) não tinha fundamento científico,eu sempre tive certeza de que (a reação disfórica)foi uma reação ao medicamento, tanto que nunca mais o tomei. Depressão em cápsula.
 
Pois é, Renata, tem sim fundamento científico (reação extrapiramidal), mas hoje em dia até os médicos andam tão desinformados que fica difícil...
 
Nossa, tomei esse medicamento (comprimido) ontem e passei muito mal, tive muita agitação, ansiedade e alucinações. Não tinha jeito q estivesse bom, fiquei um tempão andando de um lado pro outro. Só acalmei um pouco depois q tomei dois calmantes... e o plail causa mesma coisa pra mim... Evitem esses medicamento, realmente a sensação é desesperadora.

 
Gente... quanto tempo a substância desse bromopida sai do organismo? Me ajudem por favor! Sábado fui ao hospital passando muito mal com enjoos e vomitando.O médico me passou Plamet(bromopida) e desde que ingeri me sinto estranha,como se estivesse voando,ando sem sentir que estou andando,como se estivesse em outro mundo,tento dormir e não consigo,uma agitação na mente e nos pensamentos...ao ler isso vejo que estou com mesmos sintomas,parei de tomar o remedio hj até que dia esses sintomas vão ficar? o.O ME AJUDEMMM
 
Bruna, da última vez que tomei, fiquei ainda uma semana me sentindo estranha, mas os sintomas foram diminuindo. Pode ter certeza de que vão passar, fique tranquila! :-)
 
Bruna, quando eu tive este problema eu tomei
calmante e dormi até passar estas sensações.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Obrigada Norma e Engine...Mais vcs sabem mais ou menos quantos dias podem durar? Eu tomei 5 remédios, 2 sábado, 2 domingo e 1 segunda de manhã cedo,depois ao perceber os sintomas e ler este artigo imediatamente parei...será que vai demorar de desaparecer esses sintomas? Não tou aguentando, Hoje acordei menos sonolenta do que ontem porém ainda estou com sono,fraca,minha cabeça está com sensação de vazia,como se estivesse desmaiado e voltado sabe como é? E tou com leves dores na cabeça como se estivesse com peso,aguniada...tomare que passe logo,é uma sensação horrível gente,parece que estamos em outro mundo...=/ ...preciso voltar a minha vida normal...ESSE REMÉDIO É UMA BOMBA!
 
Gente cadê vcs que não respondem? Passaram quase um mês e acreditem...a agonia passou mais me deixou com dor de cabeça forte que até hj não passou ainda e minhas vistas ficam ruins...o.O E agora?
 
Bruna, se eu fosse você, procurava um neurologista. Todos os relatos que já ouvi trazem sintomas passageiros, e só o médico poderá dizer exatamente o que está acontecendo. Talvez a bromoprida tenha desencadeado uma enxaqueca com que você não está conseguindo lidar, como se fosse uma reação em cadeia. Dá para controlar a enxaqueca com mudança de hábitos, exercícios e cuidados com a alimentação. Eu aprendi muito com o site e o livro do dr. Alexandre Feldman - www.enxaqueca.com.br Ele é ótimo! Remédios fortes para enxaqueca (como o topiramato) só causam dependência, têm efeitos ruins e não resolvem no longo prazo. Mas você antes precisa definir se realmente é uma enxaqueca. Se morar em SP, eu recomendo que se consulte mesmo com o dr. Alexandre. As informações estão no site. Abraços!
 
Noooossssa nunca pensei q alguém pudesse ter tido uma experiência tão ruim com a bromoprida qto eu. Estava gravida de 6 meses. Na noite mais fria do ano. Fui LITERALMENTE ao inferno naquela noite. Pelo amor de Deus...não tomem nunca
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Fui pesquisar na net sobre acatisia, que uma amiga disse que teve ao tomar bromoprida e verifiquei que o que senti, qdo me deram na veia, o Digesan, após uma cirurgia de endometriose, e de ter voltado o " jantar", foram os mesmos sintomas. Também tive essas mesmas sensações de agitação, ansiedade, angustia...depois em casa, ao tomar o antiinflamatório Melocox ( Meloxicam), a sensação é horrivel, e parei de tomá-lo no 2º comprimido, relatei ao medico essas sensações, além de uma sensação de taquicardia associada, e ele me disse, pare o remedio então.Esses sontomas devem ser divulgados, pois os pacientes precisam ser informados dos possíveis efeitos que terão após ingeri-los.
 
Gente tmbm tive isso..sensaçao horrível. Uma agonia muito grande que eu não conseguia parar,pernas,maos,fui parar no hospital e o médico disse era crise de ansiedade....mas na verdade era reação desse remédio!!! Deus me livre desse remédio!! Bju
 
Eu achava que realmente era crise de ansiedade mas não é esse remédio. Demorou pra eu descobrir...mas os sintomas são esses mesmo. Demora a passar mas passa.
 
Isto não deveria ser chamado de remédio e sim de veneno. Tambem senti todos estes sintomas. Não quero ver este "veneno" nunca mais na minha frente
 
Isto não deveria ser chamado de remédio e sim de veneno. Tambem senti todos estes sintomas. Não quero ver este "veneno" nunca mais na minha frente
 
Gente. O nexium faz isso tb, aliás todos remedios para estomago mexem com o sistema nervoso. Ainda mais pra quem tem pre disposição. Mas calma! Os efeitos passam e tendem a diminuir dia apos dia. Nao se desespere. Vc nao esta doente, nao está ficando louco. Só está sobre efeito de DROGAS. Isso mesmo. Pare ja com bromoprida, nexium, plasil, omeprazol. Fazem muito mal. Optem por produtos naturais: passiflora, chá de boldo, couve... os efeitos diminuem xom o passar dos dias. Nao se desesperem. Força. Eu sei o que estão passando. Saia pra correr, caminhar ao ar livre. Medite, respire fundo quando quiser sair correndo. Conte com alguém que te acalme. Fuja dos que te deixam ansiosos. É mto ruim a sensação. Mas da tudo certo. Tente buscar o equilibrio. Hoje estou sob este efeito. Estou ansiosa, mas procuro me acalmar pq dias melhores virão. Deus está comigo, me trazendo a paz na aflição. Boa sorte
 
Ola. Uma vez eu ja estava meio deprimida quando tive uma crise gástrica. Me deram esse remedio (Digesan) e tomei por 3 dias. Foi a pior coisa da minha vida. Esse remedio quase me fez me suicidar. Eu ficava deitada e não tava bom..andava a casa inteira perambulando a noite, e nada me fazia aquietar...fica o sentimento de inexistência. Você fica fora do mundo. Isso é veneno. Tive tbm torções involuntária no pescoço..ele quase virou para trás sozinho.... foi terrivel. Como esse remedio ainda esta no mercado?
 
Inacreditavel que esse remedio e o plasil ainda estejam sendo usados mesmo eles sendo ao meu ver indutores de suicidio
 
norma, lendo seu relato e todos os comentários que se seguiram fica muito claro que essas outras pessoas estavam desesperadas e sem saber o que fazer. buscaram no google e encontraram aqui algum conforto por saberem que não estão completamente loucas. assim como eu.

PRECISAMOS FAZER ALGUMA COISA para que isso não aconteça mais. para que outras pessoas não sejam acometidas por este efeito que, sem dúvidas, é a pior coisa que já me aconteceu na vida.

por favor, entre em contato comigo. luizavat@gmail.com
 
angélica,tomei esse mendicamento e tive as mesmas sensações ,pois ja tenho esses sintomas e uso o fluoxetina,dai quando comecei a tomar e vi que estava me fazendo mal.e conhece outras pessoas que tomaram que não se se deram bem.tem que tirar essa medicação de circulação.
 
Meu deus quero me livar urgente desse remédio, os efeitos são terriveis, algo tem que ser feito.
 
é horrivel mesmo, tomei e sentia falta de ar e sensação de desmaio a todo momento. Além disso, no UPA eu só pensava em voltar pra casa, quando cheguei em casa ficava andando a todo momento e nem consegui sentar no PC, na hora de dormir, deitava e queria levantar, levantava e queria deitar, além de ter tido pesadelo a noite toda quando consegui dormir...
 
Achei que era só eu. Fui até numa farmácia perguntar sobre as reações adversas da Bromoprida. Quando citei o que sentia, o farmacêutico quase riu da minha cara. Justificou o que eu estava sentindo, com desidratação por eu ter vomitado muito, numa crise de stress que eu tive (sabado), o que acabou me levando até o hospital e a receber Bromoprida e Buscopan na veia. Lembro do sentimento de desespero que me deu minutos depois de ter recebido o tal remédio. Queria sair dali. E ao mesmo tempo não sabia aonde queria estar. Em casa, na cama, minhas pernas não paravam. Nenhuma posição era confortável. No dia seguinte, acordei pior. Sem fome, além de que, parecia que eu não estava no meu mundo. Estava tudo fora. Fora da minha realidade. Eu chorei sem motivo umas 3 vezes. Um choro desesperado. De saudade, angústia, um sentimento horrível. Sem saber o que fazer, meu marido me levou pra dar uma volta... Parecia que eu não estava ali. Eu sentava e ficava inquieta. O pior de tudo é que no domingo pela manhã, eu havia tomado mais um comprimido da maldita, que uma farmacêutica havia receitado antes de eu ir pro hospital. Já não estava bem, mais aquela dose, fique pior ainda. É desesperadora essa sensação. Jamais quero passar por isso novamente...
 
Ontem fui ao hospital com sintomas de infarto e me deram Plasil injetado na veia, a agonia foi enorme e a sensação de que ia morrer foi estonteante, pedi para tirar o soro e como não me atenderam eu arranquei ele da minha veia e fui direto para o Carro, queria sumir! Dirigi até a casa de minha mãe e capotei! Estava tonto, fala desconexa e dormir umas 12horas. Mas o problema é que parece que ficou sequelas! Não consigo dormir, estou com ansiedade e meu corpo treme de frio. Quanto tempo dura os efeitos do Plasil? Não quero ficar assim para sempre! Se for para ficar assim vou matar o médico que fez isso comigo!
 
Com 13 anos, um farmacêutico me vendeu plasil, pois eu não comia direito, e sentia dores de estômago. Tomei na quarta, na quinta e na sexta feira comecei a sentir meu corpo tremer.. partes do corpo, meus nervos se contraiam, braços, pescoço. Foi quando me olhei no espelho e vi que meu rosto estava se deformando praticamente, que me bateu o desespero maior, e pedi pra minha avó me levar ao hospital. Minha sobrancelha estava torta, assim como minha boca e eu não falava direito. Estava tendo o início de uma convulsão, foi o que disseram os médicos, e que eu poderia ter morrido se eu esperasse um pouco mais. Me deram 3 injeções não sei do que, e uns 5 litros de soro. Me surpreende que Plasil ainda esteja sendo vendido.
Ou você vai novamente ao hospital e fala do que está sentindo, ou espera passar, assim como eu fiz quando tomei a maldita Bromoprida. Os efeitos passaram mesmo depois de 3 dias.
 
http://www.enxaqueca.com.br/blog/reacao-extrapiramidal/

Mais gente da mesma forma..
 
Obrigado por me responder.
 
Israel, isto é mais comum do que se imagina! Por isso é um absurdo! Mantenha a calma, estes sintomas desagradáveis vão passar! Tenha em mente que é temporário e não se assuste.
Criei um blog para tentar ajudar as pessoas que, como eu, passaram por isso!
Me escreva se quiser: luizavat@gmail.com
O blog: http://reacaoextrapiramidal.blogspot.com.br/?m=1
 
Muito bom, Luiza! Parabéns pela iniciativa!

Israel, em alguns dias (3, 5, 8, varia), tudo voltará ao normal, não se preocupe!
 
Nossa gente, estou abismada. Comecei a fazer tratamento com o antidepressivo Pondera, quando estava no 7° dia o médico me passou Bromoprida porque eu estava com muita dor de estômago. Nossa , sensação horrível, como vcs conhecem, pernas e cabeça inquietas, não tinha posição, falta de ar, angustia total, pensei q fosse morrer. Pens que fosse do antidepressivo, mas li sobre o Bromoprida e vi que seria dele. Mesmo assim tenho medo de tomar o antidepressivo novamente. Hoje é o segundo dia após o medicamento e ai da sinto um pouco de angustia e ansiedade e não consigo comer, sem fome nenhuma, alguém mais se sentiu assim, sem fome, estou preocupada. Medicamento maldito. Norma parabéns pelo texto.
 
Daniela eu tambem estou fazendo tratamento do estomago, e teria que tomar ele 3 vezes por dia
Ontem descobri esse blog e graças a deus me ajudou... Hj nao ou mais tomar!
Estou estranha, com um vazio, nao estava conseguindo dormir, tomei um ansiolitico , e sim estou como você.... Sem fome nenhuma, estou comendo muito pouco, nao consigo comer é esse remédio

 
Perdi até peso alias, estou magra
Fraca, e com essa sensação que todos falaram dessa angustia
 
Muito feliz por achar esse texto.Tomei Bromoprida na veia e senti algo proxima do que vc relatou, achei q era loucura minha, entao eu muito idiota tomei um comprimido, e eu entrei no que eu chamo de crise um misto de depressao e ansiedade horrivel. Quantas horas demora para essa porcaria sair do meu corpo?
 
Se vc ja esta sentindo mal com o bromoprida....digesan e plasil sao praticamente acmesma coisa ...nao podem see tomados.
 
E um vazio sem explicação, uma mistura de angústia, agonia não tomo mais esse remédio.
 
Pessoal, boa noite.

Gostaria de deixar meu relato sobre a minha experiência de uso do medicamento BROMOPRIDA. Acho que ele pode causar outros males além dos que já foram postados aqui.

Após a ingestão de 3 comprimidos no sábado (09/04) e + 3 no Domingo (10/04) (conforme orientação médica, tomar 1 comprimido 3x ao dia) vivenciei uma das reações mais horríveis da minha vida: por volta das 21h do domingo minha língua ficou grossa, começou a enrolar e não parava dentro da boca. Imediatamente fui para o hospital. No caminho para o médico, minha língua parou, porém dai meu maxilar começou a fazer movimentos totalmente desordenados a ponto de quase quebrar meus dentes e machucar minha bochecha. Foram quase 3hs de puro terror. Achei importante deixar meu relato aqui, pois encontrei um artigo médico que descreve meus sintomas como “Distonia Aguda” e relaciona a crise ao uso da Bromoprida.

 
Puxa, Anne, obrigada por seu relato! Mais uma informação importante sobre o uso desse medicamento...
 
Pode ser reação individual mas também a mim a bromoprida (que nunca mais tomarei) produz terrível angustia, um apagamento químico de energia vital em meu cérebro.Esse medicamento deveria ser proibido.
 
Gente agora é dez/16. Eu tenho um relato feito a 4 anos do uso da bromoprida no site. Depois procurem se quiserem. Mas nao podemos demonizar o remedio. Minha filha de 4 anos estava mal e vomitando a 3 dias. Nada adiantava. Buscopan, Dramin, nada. Com 10 gotas de bromoprida que dei com o maior medo do mundo. Ela comeu, levantou, ta otima. Uma melhora consideravel. Não teve absolutamente nenhuma reação. E eu fiquei acordada a noite toda velando ela por medo. Mas eu não tomo nem se estiver morrendo.pq será q acontecem reacoes tão diferentes?
 
Vejo pessoas que tomam o Plasil (cloridrato de metoclopramida) e o Digesan (bromoprida) normalmente, sem nenhum problema. Já eu tive experiências horríveis com ambos, e com a bromoprida parece ser ainda pior. A cabeça fica a mil por hora, não para nem um segundo; turbilhão de pensamentos negativos; um medo q vai te consumindo até vc achar q está perdendo a sanidade; sentimento de fuga da vida, q está tudo perdido e não tem ninguém q possa te amparar; vc chega a cogitar até a morte como forma de alívio. É uma crise de ansiedade das brabas. E tudo se agrava ainda mais, pq quando a pessoa faz uso dessas medicações, é pq ela já tá enjoada. Imagina: vc ja tá mal, aí vai e toma uma bomba em cápsula. A boa notícia é q agora sabemos q a culpa é do remédio, e q a crise passará a medida q o remédio saia do corpo. De toda forma, eu tomaria logo um rivotril pra relaxar. É horrível ficar assim.
 
Postar um comentário

<< Home

Archives

Junho 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Fevereiro 2006   Abril 2006   Junho 2006   Julho 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Março 2007   Abril 2007   Novembro 2010   Julho 2013   Outubro 2013  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?